Entrevista com Monsenhor Rubens sobre a publicação das novas diretrizes para o Exorcismo em Português

No último dia 20 de maio de 2021, a Sagrada Congregação para o Clero (Congregatio Pro Clericis), na pessoa do seu Cardeal Prefeito, Dom Beniamino Stella, autorizou a tradução para o Português do texto com as Novas Diretrizes para o exercício do Ministério do Exorcismo na Igreja, apresentada a esse Dicastério Romano pela Secretaria de Língua Portuguesa, da Associação Internacional dos Exorcistas. 

O texto original, em italiano, já havia sido revisado e autorizado por três Congregações: Doutrina da Fé, Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos e Clero. A publicação em italiano aconteceu em julho de 2020.

Para explicar a importância desse acontecimento, entrevistamos o Delegado da Secretaria de Língua Portuguesa da AIE, Monsenhor Dr. Rubens Miraglia Zani, Exorcista oficial da Diocese de Bauru – SP e também o tradutor oficial das novas diretrizes para o nosso idioma:

Torne-se nosso assinante e contibua com o nosso trabalho!

Portal – Qual a importância das diretrizes para o exercício do Ministério de Exorcista na Igreja?

Monsenhor Rubens – Essas Diretrizes nascem de anos de trabalho envolvendo muito estudo, trabalho de campo e reflexão teológica.
Nelas encontramos um compêndio de Teologia, Sagrada Escritura, Magistério e os mais provados e autorizados autores sobre o exorcismo na Igreja Católica.
São séculos de doutrina e de prática exorcística condensados nessas pouco mais de 300 páginas, num trabalho hercúleo realizado pela Associação Internacional dos Exorcistas e que foi coroado com a aprovação de bem três Congregações da Cúria Romana: Clero, Doutrina da Fé e Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, com o Imprimatur do Vicariato de Roma, ou seja, com a aprovação também da Cúria da Diocese de Roma, que é um requisito do Direito Canônico para as publicações sobre Teologia, Sagrada Escritura e Direito na Igreja.

Torne-se nosso assinante e contibua com o nosso trabalho!

Portal – Por que a AIE se empenhou em construir um Vade Mecum próprio sobre o Ministério do Exorcismo?

Monsenhor Rubens – A AIE tem, como parte das suas funções e objetivos estatutários, ocupar-se da formação teológico-pastoral não apenas dos seus sócios, mas de oferecer à Igreja os mesmos préstimos. Essas Diretrizes nasceram, primeiramente, para os nossos sócios. Porém, ao serem apresentadas à Congregação do Clero para a sua aprovação (essa é a praxe da AIE: tudo o que fazemos é apresentado por nós à Congregação do Clero, desde a nossa aprovação como associação privada de fiéis), viu-se a validade e a utilidade do seu conteúdo para todos os exorcistas e seus auxiliares no mundo.
Eis porque se deu a sua publicação, primeiro em italiano – idioma original da sua redação ( e que já está na 2ª edição) – e nos foram pedidas as traduções nas principais línguas para publicação.
Já foram feitas em português, espanhol, inglês, francês, alemão e tcheco.
Todas essas traduções também foram ou estão sendo avaliadas pela Congregação do Clero para receberem a autorização para poderem ser publicadas. Portanto, a AIE se empenhou nesse trabalho primeiramente visando os seus sócios (exorcistas e auxiliares), para que tivéssemos uma formação de qualidade em vista da ortopraxia do nosso ministério. Mas tal trabalho foi tão completo e útil que a Igreja nos pediu que o oferecêssemos também aos não sócios.

Torne-se nosso assinante e contibua com o nosso trabalho!

Portal – O que esse texto vai proporcionar aos sacerdotes exorcistas?

Monsenhor Rubens – Esse texto oferece aos exorcistas e seus auxiliares uma visão de conjunto de tudo o que concerne ao seu ministério, segundo a Teologia, a Sagrada Escritura, o Magistério, os autores melhores e mais provados em ciência teológica e prática pastoral de sorte que sejamos bem formados para o exercício fecundo do nosso ministério em todos os seus âmbitos, evitando improvisações e erros tanto teológicos quanto pastorais. Servirá também para efetivarmos uma nomenclatura comum entre os exorcistas ao tratarmos de certos fenômenos próprios que interessam os nossos assistidos. Pode parecer estranho, mas há ainda uma falta de uma nomenclatura comum e unívoca na definição das atividades extraordinárias do demônio, o que dificulta o intercâmbio de informações e trocas de experiências, tão úteis aos exorcistas.
A nomenclatura adotada pela AIE e empregada no texto das Diretrizes já foi adotada pela CEI (Conferência Episcopal Italiana) na sua apresentação do atual Ritual dos Exorcismos. Será ainda um instrumento útil para todo exorcista dar a devida formação de base ao seu grupo de auxiliares, preparando-os e capacitando-os para esse serviço eclesial.
Servirá para a formação inicial bem como para a formação permanente, ambas necessárias.

Torne-se nosso assinante e contibua com o nosso trabalho!

Entretanto, esse texto servirá não apenas aos exorcistas e seus auxiliares. Será também muito útil para todos os fiéis (ou não) que se interessam pelos argumentos: Demonologia católica, demônio e suas ações (ordinária e extraordinárias), exorcismo na Igreja Católica, formação de exorcistas e seus auxiliares, prática pastoral exorcística e outros assuntos relativos ao tema.
Todos encontrarão no texto a genuína teologia católica, o magistério autêntico, os mais abalizados autores e a legítima prática pastoral católica referentes ao argumento proposto.
Mais que um vade-mécum, as Diretrizes são um texto que, por tudo o que já foi apresentado, além de um instrumento tão válido para o exorcista e seus auxiliares, pode também servir como Diretório para a aplicação do atual Ritual dos Exorcismos, como prevê o n. 38 da Introdução Geral, trabalho que compete às conferências episcopais.
Como se vê, não foi à toa que à Congregação do Clero aprovou e cuida da divulgação das Diretrizes.

Em breve, a publicação das novas diretrizes será realizada no Brasil e divulgaremos mais detalhes.

Torne-se nosso assinante e contibua com o nosso trabalho!

 

 

plugins premium WordPress